BIOGRAFIA

Na adolescência, toda vez que fugia para cantar, levava uma surra de caçarola de sua mãe, dona Joana D’Arc, e mesmo assim não desistiu. E o que dirá dona Joana, que não gostava nem um pouco da idéia da filha “viver na noite” e agora é mãe de uma grande estrela nacional? O show Apaixonada que ela apresenta de norte a sul do país já foi assistido por milhares de pessoas, e sua música Bate Lata figurou entre as quinze mais tocadas no verão de 2001, segundo a revista Sucesso CD. Infância e Adolescência Gilmelândia Palmeira dos Santos é o seu nome de batismo. “Meu nome é um parque de diversões”, brinca. Aconteceu em homenagem a uma amiga da mãe, de nome também curioso, Jumelânia, “Meus pais foram passar a lua-de-mel em Barra do Gil (praia situada na Ilha de Itaparica – BA). Quando eu nasci, eles juntaram as duas coisas e virei Gilmelândia”. Dois dos três irmãos mais novos também foram batizados com irreverência: Angstron (Tom) e Celsius. Gil também tem uma irmã, Flávia, que a presenteou com os seus xodós, Isis e Ingrid e agora também chegou Luca, filho de Tom. Seu pai, Orlando dos Santos, já tem outra família, mas não deixa de estar sempre presente nos trios e shows. “Gosto de estar sempre perto dela”, confidenciou um dia. Nascida em 20 de setembro de 1975, teve uma infância muito difícil, mas feliz. Viveu de forma humilde, estudou magistério e virou professora. Ela mostrou sua irreverência desde cedo. Na escola, seu uniforme vivia sendo reformado a seu modo, cortava aqui e erguia ali. Os amigos não entendiam tanta criatividade. Hoje, a gente entende. Começou a cantar na adolescência, época que também fazia muitos serviços domésticos no quintal da casa onde morava com sua mãe e irmãos, em Brotas, bairro de classe média de Salvador. Uma vizinha, de tanto ouvir as cantorias do outro lado do muro, a indicou a Tom Caldas, que virou seu parceiro musical e namorado durante oito anos. “Começamos a nos apresentar juntos e acabou dando certo”. A família que não ficou muito contente. “Fugia para cantar e brigava muito com meus pais pela música. Eles tinham medo que eu me envolvesse com drogas, violência e me proibiam de sair”. Com um repertório diversificado, que passeava pela MPB, Axé, Reggae e Forró, ela fazia o circuito de bares de Salvador e encerrou esta carreira na Lagoa do Abaeté, onde sempre volta e é muito bem recebida. Neste meio tempo, cantou nas bandas Pinote, Jóia e Laranja Mecânica, além de carregar caixas de som como free lancer de contra-regra. “Eu e o Tom Caldas tínhamos um som que a gente alugava, carrega o som, tira daqui, instala lá”. O início da Banda Beijo Em 1998 a vida de Gil deu uma reviravolta. Deixou de cantar em barzinho e assumiu o posto daquele que é considerado um dos maiores fenômenos do Axé Music , o cantor Netinho. Ele estava procurando uma cantora para relançar a Banda Beijo, fenômeno musical de 1988 a 92. Aguardou pacientemente por cinco anos, até que aparecesse um substituto à altura, foi quando o seu back vocal Marquinhos Carvalho, também autor de Peraê, o hit que a lançou para o sucesso, a ouviu cantando e levou uma fita K-7 para Netinho. O empresário gostou da música e principalmente da cantora, que é dona de uma voz poderosa, grave e rouca. Foram nove meses de preparação e Gil sofreu uma transformação. Emagreceu dez quilos, cortou os cabelos longos e cacheados e fez “cocós” (birotes amarrados com fios de arame), trocou os vestidos colados e curtos pelas calças folgadas e tops, coloriu a pele com tatuagens de henna, colou piercing. O visual andrógino, inspirado na juventude londrina, foi assinado pelo estilista gaúcho Miguel Carvalho. A princípio, sentiu-se estranha, mas com o tempo, foi tornando-se indispensável. Certa vez, no Pré-Caju, carnaval fora de época de Aracaju – SE, ela resolveu apresentar-se com um aplique, quando chegou no trio elétrico, dezenas de meninas, todas com cocós na cabeça, querendo saber onde estavam os de Gil. Virou marca registrada. Shows Sua estréia em shows foi em outubro de 1998, no Rio de Janeiro, e desde então vem mantendo uma média de dez apresentações mensais, com um repertório variado. “É um show muito eclético. Além de músicas minhas, canto outros artistas. Estar no palco é o que sempre sonhei. Por isso, curto demais! Quero dividir a minha alegria e botar o povo para brincar comigo, é um show para dançar, se divertir e dar beijo na boca.” É assim que Gil define em poucas palavras sua apresentação. São duas horas de um show elétrico. “Se o público estiver amando, fico até aguentar e faço todo mundo sair com o sapato na mão”. Como não poderia deixar de acontecer, a espevitada Gil recheia seu show de humor. “Não é Banda Beijo? Então, tem que ter beijo”, Anuncia no meio da apresentação. Ela faz o maior auê para escolher um candidato e dá – lhe um selinho. O público vai ao delírio. Famosa por tascar bitoquinhas em seus fãs, deu o primeiro beijinho aos 14 anos, em um ‘paquera’ , depois teve alguns namoricos, relacionou se com Tom Caldas por oito anos e agora tem um namorado, que ela está esperando ele “entrar na linha” para assumi-lo publicamente. Família e Religião Mesmo com o dia-a-dia agitado, Gil sempre encontra tempo para estar perto da família. Quase todo o seu tempo livre é dedicado a seus sobrinhos. A dança da música Peraê, que virou mania nacional, foi inventada em uma das brincadeiras da sobrinha Isis, na época com quatro anos. Outra dedicação é com o sobrinho Rafael, que é autista. “Ele precisa de uma escola especializada. Dou apoio a uma casa de Aracaju – SE, mas sinto vontade de criar uma instituição para pessoas especiais como ele, e fazer o Brasil olhar para esse problema”, diz Tem Deus muito presente em seu coração. “É o meu guia e protetor. Converso com Ele em qualquer lugar, basta mentalizar. Quando penso que cantava em barzinho e agora lido com multidões, só posso agradecer a Ele todos os dias. É preciso ter fé e acreditar nos sonhos sempre”. Ela freqüenta a Igreja Batista sempre que está em Salvador. “Se cada um fizesse alguma coisa, haveria um mundo melhor. As coisas iam mudar. Sempre que posso, falo de amor e do bem. Um dia o bem vai reinar, tenho certeza.” , afirma.Agora nesta nova empreitada, ela assume o posto de apresentadora de uma forma única. Gil desbancou uma série de candidatos (as) ao posto de comandante do "Viva Noite". Simpática e espontânea, ela cativa o telespectador com todo a sua alegria e faz do programa uma animação só.

2 comentários:

re.reka disse...

ola gil espero qeu vc saiba que sou eu é eu a Regiane , ou melhor remalukt que que saiba que estou aqui em sao paulo torcendo parta que onde vc esteja que vc estaja bem e que esteja feliz com tudo que vem acontecendo com vc te amo muito, quero que saiba que dia 01/05 é o meu aniversario me mande uma mensagem por favor te amo muito e ate a proxima mensagem, , beiloket's para vc te amo , te amo, e te amo ...

re.reka disse...

Oi, gil vc é a minha cantora preferida queria tanto qeu o seu programa voltasse para o ar novamente , faz tanta falta no sabedo a noite que nao tem nada para assistir o seu programa era a unica coisa que salvava as noites de sabado , e agpra parece que é a noite mais chata da semana, mas nao se preoculpe baixei todos os seus videos para me alegrar um pouquinho ,vc pode me dizer onde encontros os seu dvd assim que sair por favor te amo , te amo , e te amo fique com o papai do céu ta bom ... boa noite , bom dia , e até mesmo boa tarde , que ssta com vc em todos os momenyos da sua vida pois vc é uma pessoa muito especial para mim ,vc nao sabe o quenato eu aprendi com vc em todos esses ano que eu te conheco, te amo muito, beijos ,beijinhos beijoket's...

DISCOGRAFIA

ULTIMAS FOTOS

DEIXE SEU RECADO